Perguntas frequentes

Bio TPU™ - ESTANE® ECO e série Pearlbond™ ECO TPU

Quais são os produtos de origem sustentável no portfólio da Plásticos de engenharia Lubrizol?

Nosso portfólio de origem sustentável é conhecido como Bio TPU. O Bio TPU é comercializado sob as linhas de produtos ESTANE ECO e Peralbond ECO. Os produtos podem ser encontrados em nossa seção online Produtos. Seguem os links para ESTANE ECO e Pearlbond ECO.

Onde o Pearlbond™ ECO TPU​​​​​​​ pode ser usado? Além desses produtos, vocês têm outros TPUs de origem sustentável?

O Pearlbond ECO 590 TPU tem propriedades muito interessantes: a temperatura de fusão é aproximadamente 80 ºC, e a recristalização é muito rápida. Ele é muito versátil e pode ser usado para diferentes aplicações, como fios ou linhas de baixa temperatura de fusão, em uma peça de reforço de calçado ou em adesivos em pó para componentes eletrônicos. Ele tem 67 % de origem biológica, o que é certificado de acordo com a ASTM D-6866.

Temos uma série completa de TPUs comerciais de origem sustentável com uma ampla faixa de dureza, de 82 Shore A a 55 Shore D, que são aplicados em peças moldadas e que passaram pelo processo de extrusão e coextrusão. Esses materiais são resinas Bio TPU™ comercializadas sob a marca ESTANE® ECO. Além disso, na Plásticos de engenharia Lubrizol, também estamos aumentando a série deste produto com novos produtos em desenvolvimento para fornecer desempenho adicional, por exemplo, estabilidade da cor.

Quais são os principais mercados para os produtos ESTANE® ECO?

Os produtos ESTANE ECO têm baixa densidade e propriedades mecânicas, físicas e químicas excepcionais, que oferecem flexibilidade significativa em uma ampla variedade de aplicações, incluindo películas/filmes, mangueiras, correias sincronizadas, compostos especiais e peças injetadas macias em calçados, eletrônicos e interior de carros.

As fontes de base biológica ESTANE ECO TPU são concorrentes alimentícios?

A ESTANE ECO 12Txx series não é um concorrente alimetício.

Há algum produto de base biológica para a fabricação de aditivos?

Para a fabricação de aditivos, a Lubrizol oferece o STANE® 3D TPU F95A-030 BR ECO PL, um produto de base biológica para a produção de filamentos fundidos com uma ampla variedade de impressão 3D.

Quando o Bio TPU™ foi inventado?

O Bio TPU foi inventado em 2007 pela Merquinsa e foi o primeiro Bio TPU do mercado. Mais tarde, a Merquinsa foi comprada pela Lubrizol Corporation, e a marca Bio TPU por Merquinsa foi renomeado para Bio TPU pela Lubrizol. Ele foi lançado na feira K de 2007 em Düsseldorf, Alemanha, por meio de um comunicado de imprensa da Merquinsa de 13 de outubro de 2007, sob o título de "O primeiro TPU do mundo de fontes renováveis". As resinas Pearlbond ECO e ESTANE ECO fazem parte da categoria Bio TPU.

O Bio TPU™ é uma marca registrada?

O Bio TPU é uma marca registrada de propriedade da Lubrizol Corporation.

Além do Bio TPU™, quais outras soluções sustentáveis a Plásticos de engenharia Lubrizol oferece?

Os materiais ESTANE RNW e ESTANE PIR são os nossos desenvolvimentos mais recentes. Veja o vídeo Soluções Sustentáveis da Plásticos de engenharia Lubrizol para saber mais. Para ver o vídeo, clique aqui.

O Bio TPU é biodegradável?

A biodegradabilidade de um poliuretano termoplástico (por exemplo, em conformidade com UNE-EN ISO 14855-1:2013) não depende da origem biológica ou de petróleo, mas sim de sua composição, ou seja, do tipo, estrutura e conteúdo de seus blocos de construção. O Bio TPU™ da Lubrizol não é biodegradável. No entanto, se necessário, a biodegradabilidade de um TPU pode ser aprimorada ajustando a sua formulação. Para obter mais informações, fale conosco.

Como o teor biológico pode ser medido/expressado?

O teor biológico pode ser expressado como:
- Teor de massa de base biológica: expressado como um percentual da massa total da amostra, de acordo com a ISO 16620-4, ou
- Teor de carbono de base biológica: expressado como um percentual do teor total de carbono da amostra, de acordo com a ASTM D-6866-21.

Qual é a diferença entre equilíbrio de base biológica e biomassa?

De base biológica
Polímeros de base biológica são materiais produzidos total ou parcialmente a partir de recursos renováveis, por exemplo, plantas como milho ou cana-de-açúcar. Dessa forma, o teor biológico desses materiais pode ser determinado com exatidão, por exemplo, pelo método de radiocarbono, de acordo com a ASTM D6866-21.

Equilíbrio de biomassa
Na abordagem de equilíbrio de biomassa, a matéria-prima renovável, como resíduo orgânico ou óleos vegetais, é usada em uma primeira etapa da produção de produtos químicos (por exemplo, craqueamento a vapor) para obter bionafta ou biogás. Na segunda etapa, a bionafta ou o biogás é misturado com nafta ou gás de origem fóssil e usado para fazer vários produtos. Na última etapa, a matéria-prima da biomassa é alocada apenas para produtos específicos que são vendidos por meio de um método certificado. Dessa forma, o teor de biomassa efetivo de um produto alocado e confirmado por um produtor pode diferir do real, medido, por exemplo, pelo método de readiocarbono.

A Lubrizol tem TPU equilibrado por biomassa?

A Lubrizol tem grau TPU equilibrado por biomassa e está aberta para discutir o desenvolvimento e a introdução de graus adicionais selecionados.

Reciclabilidade

O TPU pode ser reciclado?

O TPU pode ser reciclado*. O TPU é um material termoplástico, ou seja, pode ser derretido e solidificado várias vezes sem um impacto significativo em suas propriedades finais. Esse impacto vai ser diferente dependendo de como o material é processado e de sua idade. Por exemplo, ao laminar sobre alguns substratos, os retalhos que são geralmente descartados podem ser recuperados. Além disso, depois do fim da vida útil, as peças pode ser desmontadas para recuperar componentes diferentes. Finalmente, observou-se que o TPU pode melhorar o índice de capacidade de reciclagem de outros polímeros (por exemplo, alguns têxteis sintéticos).

Podemos devolver nossos restos de TPU para a Lubrizol ou parceiros da Lubrizol para integrar no ESTANE PIR TPU?

Essa é uma boa opção que estamos dispostos a avaliar. Se você tiver refugo, fale conosco, e trabalharemos juntos depois de avaliar o seu caso e receber algumas informações (por exemplo, volume disponível, regularidade do abastecimento ou consistência na qualidade).

Avaliação do ciclo de vida

Qual é a redução (estimada) na pegada de carbono para um material de origem biológica vs. um TPU tradicional?

Concluímos avaliações do ciclo de vida (LCAs) em determinados graus, e esses dados estão disponíveis. Caso queira saber a pegada de carbono de qualquer um de nossos materiais, fale conosco.

Como você espera que a precisão da LCA mude ao longo do tempo?

A LCA é um método que considera a influência no meio ambiente de todas as fases em todo o ciclo de vida de um produto, começando com a extração das matérias-primas básicas de plantas ou petróleo bruto até o material final ou produção do produto (a chamada LCA do berço ao portão) ou até o seu tratamento (LCA do berço ao túmulo). A precisão da LCA vai depender, em grande parte, da precisão dos dados disponíveis, como energia, água ou consumo de material.

Por essa razão, a colaboração entre diferentes partes em todo o ciclo de vida de um material ou produto (produtores de matérias-primas, produtores de materiais finais, consumidores de materiais finais...) é essencial para a precisão da LCA. Recentemente, atividades e colaborações nesse aspecto aumentaram muito. Elas podem ser vistas, por exemplo, de vários fundos públicos da UE ou governos nacionais dentro de países da UE disponíveis para atividades de P&D na LCA e na área de proteção ambiental, em geral, ou de diferentes iniciativas, como o EU Green Deal. Por isso, espera-se que a precisão da LCA melhore significativamente em breve.

*A capacidade de ser reciclado é baseada no acesso a um padrão de programa de reciclagem prontamente disponível que suporte tais materiais. Produtos podem não estar disponíveis em todas as áreas.